Saturday, May 07, 2005

flor d'amor


(C) TCA Posted by Hello

Jovens raparigas colhem flores,
colhem flores de lótus na margem do rio.
Entre arbustos e folhas estão sentadas,
juntando flores nos seus regaços e interpelando-se
umas às outras e divertindo-se.
(...)

Texto de Hans Bethge (1876-1946), sobre os versos chineses de Li-Tai-Po (701-762)

6 comments:

wind said...

Bonito poema e bons "riscos":) beijos

andreia said...

A imagem é quase tão bonita quanto o poema.

http://www.icicom.up.pt/blog/muitaletra/

Anonymous said...

muito romântico

Menina_marota said...

Quando li este poema há dias, lembrei-me de um que gosto muito, mas como não o sabia todo de cor, fui à procura dele e, não o encontrei.

Hoje casualmente, descubro-o e, vim aqui deixar-te...

"A Natureza é um templo, em que vivos pilares
Falas deixam fluir por incógnitas frestas,
E onde o homem perpassa através de florestas
De símbolos que o vêem com olhos familiares.

Como os ecos que além juntam os seus rumores
Em uma tenebrosa e profunda unidade
Tão ampla como a noite e como a claridade,
Correspondem-se os sons, os perfumes, as cores.

Há perfumes que são como a carne da infância,
Meigos como os oboés, como a verde distância
- E outros ricos, triunfais odores corrompidos,

Que se expandem assim como as cousas sem fim:
Como o âmbar, o incenso, o almíscar e o benjoim,
Que cantam a embriaguez da alma e dos sentidos."

Poema Correspondências de Charles Baudelaire in Mesa de Amigo (Tradução de Pedro Silveira)

Um abraço ;-)

Azul said...

Valha-me deus! Estou rendida aos seus encantos, à sua sensualidade, à sua forma, quente, inquietante, de revlar o irrevelável... Muito bonito isto. Com admiração uma vez mais. Azul.

Margem... said...

Belissimo...
Como só tu sabes!!