Sunday, May 01, 2005

fado riscado


(C) TCA Posted by Hello

Canta-me um fado
Afina essa voz rouca
Que cantando fica doce
Canta-me um fado
Uma tragédia da Cidália
Um lamento da Amália
Um fado triste ou gingado
Mas sofrido com prazer
Gemido e trinado
Baixinho... sentido
E depois gritado
bem alto
Até o céu estremecer.



O quadro de Malhoa, sem ser riscado, pode ser visto aqui

11 comments:

hirondelle said...

Até o ritmo da respiração bate certo! Senti.Fabuloso T.Bjs

Anonymous said...

teste

O Micróbio said...

Olha que o quadro do Malhoa nem fica mal "riscado" por ti... :-)

lunar said...

Fabuloso! Poema e risco.

Anonymous said...

O poema está magnifico e como remate final devia ter "até que a voz me doa". Claro que é a brincar. O quadro de José Malhoa não precisa que se diga alguma coisa. O teu riscado até tem graça.Um abraço.Arte por um canudo 2

meialua said...

Gostei do quadro riscado ;)

Beijos*

Anonymous said...

já lhe ouvi chamar outra coisa mas fado também está bem :-)

Maria said...

Senti-o e vibrei com ele, como se fosse uma corda de guitarra ;)

Menina_marota said...

Senti os acordes da guitarra, nesse poema...e cantei baixinho...

"...Gemido e trinado
Baixinho... sentido
E depois gritado
bem alto
Até o céu estremecer..."

Fabuloso!

Abraço ;-)

Seila said...

curioso! como deve funcionar o nosso cérebro...ou o meu rsss coloquei este Malhoa hoje enem me passou este poste pela memória (tadita rss)

Elvira said...

Que belo!