Friday, June 17, 2005

sometimes i find my way home


(C) TCA Posted by Hello
___________________________
há caminhos difíceis de percorrer.
obrigado a quem ajuda.
(às pedras ainda não consigo agradecer)

17 comments:

Anonymous said...

What took you so long...
home is a place where you achieve the peace of the womb
Tender kisses

little witch

Andreia said...

Os caminhos tristes quando se cruzam com outros iguais, não se agradecem ajudas, agradece-se á Vida que os cruzou.
Assim como há luzes que não se apagam os caminhos quando percorridos em conjunto não se separam...caminham lado a lado.

Agripina Roxo said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Agripina Roxo said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Agripina Roxo said...

isto parece a velha história da carochinha e do joão ratão mas a verdade é que se a vida não tivesse caminhos difíceis, não tinha piada vivê-la :) são esses caminhos que nos dão as cores do arco-íris e são por isso as pedras que um dia te hão-de agradecer:)

visualobxectual said...

Olá. gostei do Abstracto Concreto e do Abstracto Concreto II. Convido-te a visitar e colaborar (se quiseres) no site Visual Obxectual: poesia visual, objectual, concreta, experimental, etc desde a Galiza. Abraço, http://visualobxectual.diariogratis.com/blog/2118

against-wind said...

Eu já agradeci às pedras onde caí e não me partiram as pernas.

:)

Luís Miguel said...

"há caminhos difíceis de percorrer.." São esses mesmos caminhos que nos fortalecem.
.
.
Abraço.
.

Menina_marota said...

Mas esses caminhos, por vezes, dão-nos lições de vida... pelo menos, a não cometermos os mesmo erros...

Um abraço e bom fim de semana ;)

intimidade indecente said...

Estão lindos, estes teus últimos trabalhos. Fazem demorar os olhos em verdadeiras obras de arte. Aparentemente tão simples e tão preciosas...!
Beijo,
Rita

Geórgia said...

Menino! Tô aqui babando! Adorei Muro-desejo e Construções na areia. Fantastic! Beijo.

Márcia said...

Gostei demais de vir aqui. De reencontrá-lo.
Um abraço do outro lado do mar.

Ricardo Mann said...

Caro amigo Irmão doutro lado do oceano. Sou brasileiro e te descobri através do peaceblogs.org. Convido você a visitar meus blogs. Um é de poesia e textos variados http://brincadeiradavida.myblog.com.br e o outro é musical: http://todomundotocatodomundocanta.myblog.com.br Aprecio muito a música e o povo português, apesar nunca ter estado aí, mas sinto no coração uma aproximação muito grande. Eu gostaria muito de conhecer blogs da África que fala português e até da Ásia (Goa, Macau e Timor Leste, por exemplo).Conheces algum? Um grande abraço do amigo Brasileiro.

FataMorgana said...

Esses caminhos são os que nos deixam com os pés em sangue, por isso custa um pouco agradecer ás pedras... mas elas é que nos tornam os pés fortes a "calhados".

A coisa que mais amei nesta vida (talvez nem a meio vá... mas sei que não encontrarei outra igual) deixava-me os pés em sangue! Era o ballet, um caminho amado e duro, que eu atraiçoei.

Cientista said...

Gostei muito!

verca said...

Wherever I go and whatever I do, at the end, everytime I find myself again...my only way home ;-)

Margem... said...

E eu agradeço-te a ti, por todos os momentos em que me ajudaste a caminhar..

Um beijo TC